Documentação necessária para viajar para a Holanda (E outros países do tratado de Schengen!)

Para visitar a Holanda, ou qualquer outro pais da Europa que faça parte do Tratado de Schengen, você não precisa de visto. Por outro lado, existem 05 documentos de viagem que não podem ficar de fora do seu checklist.

Muitas vezes alguns deles não serão solicitados. Mas é importante conferir item por item todas as vezes que viajar para a Europa. Para não ser surpreendido durante a imigração.

Também vale dizer que não precisar de visto de viagem, tem o lado positivo e negativo. É bom pois facilita nosso planejamento. Mas é ruim pois sua entrada pode ser recusada caso você não esteja de posse de algum dos itens obrigatórios. E você só saberá disso aqui.

Antes de listas os documentos de viagem necessários para viajar para a Europa, entenda o que é o Tratado de Schengen:

Assinado em 1985, trata-se de um acordo entre alguns países do continente europeu que garante livre movimentação entre as fronteiras. Dessa forma, padronizou algumas regras para os integrantes.

Contudo, vale lembrar que nem todo país da União Europeia faz parte do Tratado de Schengen. E tem país que não pertence à União Europeia e integra o acordo. Parece confuso e é. Mas resumidamente, a U.E. (União Europeia) é sobre economia, dai a moeda única nos países: o Euro. Enquanto o Tratado tem haver com política de abertura das fronteiras e livre circulação.

O tratado facilita a vida do viajante dentre os países integrantes, que é a maioria da Europa, pois só é necessário mostrar os documentos para a imigração ao desembarcar no primeiro destino. Ou seja, você quer conhecer Holanda, França e Alemanha. Ao chegar na Holanda você mostrará seus documentos e depois viajará livremente pelos demais países. Como se fosse um voo doméstico no Brasil.

Países integrantes do Tratado de Schengen:
Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, República Checa, Suécia e Suíça.

| IMPORTANTE: A partir de 2023 será exigido a emissão de uma nova Autorização de Viagem para brasileiros. Leia sobre o ETIAS aqui.

Documentos de viagem - passagens

Documentos de Viagem

Passaporte

Isso não é novidade para ninguém. Passaporte é documento básico de viagem, pois sem ele você não viaja para fora do Brasil. Exceto para o Mercosul, em que o RG também é valido.

| LEIA: Como tirar seu Passaporte.

Conforme determinações do Tratado de Schengen é exigido que o documento tenha ao menos 90 dias de validade após a data prevista de retorno. Isto significa que seu passaporte deve ter a data de expiração para, no mínimo, três meses após a data marcada em sua passagem de volta. Mas, eu sempre recomendo 6 meses para evitar qualquer dor de cabeça.

Como dica extra indico sempre verificar a data do passaporte e emitir um novo antes de o antigo entrar em seus últimos seis meses de validade. Isto garante que o documento esteja válido para viajar sempre. Além disso, imagina se a sorte bate a sua porta e você ganha uma viagem para o próximo mês. Esteja sempre pronto para se jogar mundo a fora!

Atenção:

  • Caso seu passaporte não tenha validade suficiente para se adequar às regras, não é necessário aguardar que ele perca a validade para dar entrada em um novo.
  • Agende logo a renovação (ou o primeiro pedido) na polícia federal porque os prazos podem variar até 2 ou 3 meses dependendo da época do ano.

Tenha sempre seu passaporte em mãos ao cruzar fronteiras de países europeus.

| LEIA: Bagagem de mão – dicas e checklist grátis!

Passagem de retorno – Saída do espaço Schengen

Comprovante mais solicitado pelos oficiais da imigração europeia.

E digo mais! Sem ele, o viajante corre o risco de sequer embarcar, já que muitas companhias aéreas conferem a documentação ainda no momento do check in. A conferência é para evitar serem obrigadas a custear o retorno de quem foi barrado por não ter a documentação correta.

Então tenha em mãos sua passagem de volta para o Brasil ou para outro país que não pertença ao Tratado de Schengen.

Passagem com data de saída em aberto não é aceita como comprovante. A passagem precisa estar comprada (não vale reserva) e ter data definida de embarque.

Documentos de viagem – Seguro viagem

É obrigatório contratar seguro de viagem internacional, com validade para Europa durante o período que permanecer no território Schengen. E com cobertura mínima no valor de $30.000,00 euros para despesas médico-hospitalares.

As seguradoras oferecem produtos específicos que atendem às exigências, procure nomes como Seguro Viagem Europa ou Seguro Viagem Tratado de Schengen.

Seguro Viagem: Europa
AC 35 EUROPA AC 35 EUROPA Assistência médica EUR 35.000 Bagagem extraviada EUR 1.200 (COMPLEMENTAR) R$ 26/dia*
CORIS 30 EUROPA BASIC +COVID19 (EXCETO EUA) CORIS 30 EUROPA BASIC +COVID19 (EXCETO EUA) Assistência médica EUR 30.000 Bagagem extraviada EUR 1.000 R$ 27/dia*
Affinity 60 Europa Promocional Affinity 60 Europa Promocional Assistência médica USD 60.000 Bagagem extraviada USD 800 (SUPLEMENTAR) R$ 19/dia*

Mais do que atender outra exigência do Tratado esse item é importante para o seu bem-estar. Imprevistos acontecem. Seguro a gente contrata torcendo para não usar, mas se precisarmos acionar, respiramos aliviados. Além da proteção médico-hospitalar, sua escolha pode incluir compensação por extravio de bagagens e outros benefícios interessantes.

| DICA: verifique com a operadora do seu cartão de crédito ou do seu plano de saúde, pois nas duas opções de serviços existe cobertura de seguro viagem para os titulares.

Comprovação de condições financeiras

Pode parecer estranho mas o oficial da imigração talvez te pergunte quanto dinheiro você está trazendo e quanto pretende gastar na viagem. Vale lembrar que o agente da imigração está ali para tentar identificar pessoas que tenham planos de viver ilegalmente na Europa. Nenhum país quer bloquear a entrada de viajantes comuns, pois turismo gera dinheiro e movimenta a economia local.

Neste caso, você precisa mostrar ao oficial da imigração que tem dinheiro suficiente para pagar sua hospedagem e alimentação no país.

Garantindo assim, que você não terá desculpas que ficou sem fundos para retornar à sua casa. Estime por volta de 80 a 100 euros por dia, no mínimo, para fazer a conta total. Podem servir como documentos que comprovam suas condições financeiras: saldos disponíveis em conta corrente, extratos de cartão de crédito, saldos em cartões-viagens ou dinheiro mesmo, em espécie.

Evidências sobre o motivo da viagem

Também bastante solicitado, esse documento é o mais simples da nossa lista.

Se você estiver viajando de férias – turismo -, deve apresentar as reservas de hotéis  ou vouchers de tours agendados. Assim, você demonstra o propósito de sua viagem.

Se você gosta de viajar sem programação, considere fazer as reservas de hotéis pelo Booking.com com a opção “Cancelamento Gratuito”. Assim você consegue apresentar os comprovantes de reserva na imigração, mas fica livre para cancelar se mudar de ideia sobre o roteiro. Lembre-se de anotar a data limite para cancelamento gratuito e não perder dinheiro!

Caso vá ficar na casa de um amigo ou parente, seu anfitrião deve fazer a carta-convite. A carta deve estar assinada e ele deve residir legalmente no país para onde você está viajando.

É imprescindível apresentar seu comprovante de hospedagem!

Caso esteja viajando para ministrar uma palestra, fazer reuniões empresariais ou qualquer outro motivo de trabalho ou negócios, você deve apresentar uma carta convite da empresa que te contratou ou outro documento que comprove o motivo de sua viagem.

Dica final: Separe uma pasta com os documentos citados acima e leve com você em sua mala de mão.

* Quando você faz uma reserva usando um link do blog, você apoia o meu trabalho sem pagar nada a mais por isso.

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *