O que fazer em Cracóvia – dicas imperdíveis para o seu roteiro na Polônia.

Acabo de voltar de viagem da Polônia, passeei dois dias pela Cracóvia, uma das principais cidades do país. O centro histórico, é lindo, charmoso e pequeno, o que nos permite conhecer tudo a pé. Resumindo: Eu adorei nossos dias por lá! E vou te contar a seguir o que fizemos e o que não fizemos, para te ajudar a organizar o seu roteiro pela Cracóvia. 

Cracóvia é uma cidade vibrante que combina seu passado com uma atmosfera moderna. Seus monumentos históricos, praças e museus atraem visitantes de todo o mundo, contudo, mesmo visitando Cracóvia no verão – alta temporada aqui na Europa – foi muito gostoso passear por lá. As ruas não pareciam formigueiros de gente e os principais pontos turísticos de Cracóvia eram facilmente acessíveis

Informações Úteis sobre Cracóvia

Documentação: A Polônia faz parte do Tratado de Schengen. Brasileiros precisam apresentar passaporte válido com no mínimo seis meses de validade. É obrigatório ter seguro viagem. E a partir de 2024 será exigido a emissão de uma nova Autorização de Viagem, ETIAS .

Idioma: Polonês

Moeda: Zloty (PLN)

Fuso horário: UTC +1, 4h a mais que o Brasil

Voltagem: 230V

Tomada: Plugs são do tipo E, com dois pinos com um fio-terra central

Seguro Viagem:
Europa
Intermac I60 Inter (exceto EUA) +Covid-19 Intermac I60 Inter (exceto EUA) +Covid-19
Assistência médica USD 60.000
Bagagem extraviada USD 750 (SUPLEMENTAR)
*Valor referente a 7 dias de viagem.
AC 35 EUROPA (Exceto EUA) COVID-19 AC 35 EUROPA (Exceto EUA) COVID-19
Assistência médica EUR 35.000
Bagagem extraviada EUR 1.200
*Valor referente a 7 dias de viagem.
UA 40 EUROPA (exceto EUA) COVID-19 UA 40 EUROPA (exceto EUA) COVID-19
Assistência médica USD 40.000
Bagagem extraviada USD 200 (SUPLEMENTAR)
*Valor referente a 7 dias de viagem.

Melhor época para viajar

A melhor época para visitar Cracóvia é durante a primavera (abril a junho) e o início do outono (setembro a outubro). Durante essas épocas, o clima é ameno e agradável, com temperaturas moderadas e menos probabilidade de chuvas intensas.

O verão (junho a agosto) também é uma época popular para visitar Cracóvia, mas pode ser mais movimentado e as temperaturas podem ficar quentes. A última semana estava 30°C. No entanto, você encontrará muitos eventos culturais ao ar livre e festivais durante essa temporada.

Durante o inverno (dezembro a fevereiro) o frio é intenso, com as temperaturas abaixo de zero e possibilidade de neve. Apesar disso, a cidade tem um charme especial nesta época, com mercados de Natal e festividades sazonais.

Roteiro Cracóvia

A história de Cracóvia é rica e cheia de eventos significativos. Fundada no século VII, a cidade prosperou como um importante centro comercial na Idade Média. Inclusive foi a capital da Polônia até 1596, quando Varsóvia virou a capital.

Além dos anos de história, a cidade também tem muitas estórias para compartir com seus visitantes. Como a famosa e importante lenda do dragão, símbolo da cidade, que explica a origem do nome Krakow ( Cracóvia em polonês). Diz a lenda que a cidade ganhou esse nome em homenagem a Krakus, o herói que matou o dragão que vivia na colina Wawel, onde a cidade começou e hoje é o Castelo Real de Cracóvia.

Para saber mais da história e cultura local eu te recomendo fazer um free tour por lá, nós dizemos dois e gostamos muitos. O primeiro foi mais geral, passando pelo centro e Castelo, foram muitos os detalhes interessantes compartilhados ali. 

O segundo tour guiado foi sobre os Judeus que viviam em Cracóvia na época da Segunda Guerra Mundial e a brutalidade do Holocausto. Terminei o passeio com o coração apertado, mas sem dúvida recomendo! E também te recomendo ver o filme A Lista de Schindler, caso ainda não tenha visto. Pois além de ser muito bom, está diretamente conectado os judeus de Cracóvia.

Cracóvia é uma cidade rica em história e cultura, e repleta de pontos turísticos interessantes. Inclusive foi declarada Patrimônio Mundial da UNESCO em 1978. Um dia seria suficiente para conhecer os principais pontos de Cracóvia, mas não recomendo fazer isso. Minha sugestão de roteiro de Cracóvia é para 2 ou 3 dias, caso queira visitar o campo de Concentração de Auschwitz. 

O que fazer em Cracóvia:

1. Passear pela praça do Mercado Principal (Rynek Główny):

Rynek Glowny, a praça principal da cidade, encanta a todos que por ali passam com sua arquitetura medieval, mistura com renascentista e barroca. Dezenas de barzinhos rodeiam a praça nos convidando a sentar para apreciar a vista e o movimento das carruagens puxadas por cavalos que fazem barulho nas pedras. É tentador passar horas ali e sem duvida é um atividade imperdível para o seu roteiro de Cracóvia.

2. Fazer compras no Cloth Hall

Uma das estrelas de Rynek Glowny é o magnífico Sukiennice, o Salão de Tecidos Renascentista que remonta ao século XIII, quando era o centro do comércio de Cracóvia. O edifício esta no meio da praça e esconde dentro de suas arcadas abobadadas diversas lojinhas de souvenirs, artesanato e joias. Muitas joias amarelas. Parecem pedras amarelas, mas são âmbar.

O âmbar não é nativo de Cracóvia, e a região tampouco é produtora de âmbar, porém a cidade esteve envolvida no comércio do âmbar devido à sua posição estratégica nas rotas comerciais medievais. De todos os souvenirs típicos de Cracóvia, esse foi o meu favorito. Comprei um brinco de prata por aproximadamente 30euros. E vale dizer que o âmbar báltico é conhecido por sua qualidade e beleza, e é uma valiosa matéria-prima para joias e objetos de arte.

3. Basílica de Santa Maria (Bazylika Mariacka)

Outro destaque na praça, e ponto imperdível para o seu roteiro de Cracóvia, é a Basílica de Santa Maria. Onde, de hora em hora, do alto da torre mais alta, um trompetista solitário toca uma melodia interrompida, quatro vezes. Todos os dias. É claro que existe uma lenda que explica essa tradição, mas eu vou deixar você descobrir quando for passear por Cracóvia.

Se você gosta de visitar igrejas, não deixe de entrar nessa. Ela é belíssima por dentro. Uma nave azul estrelado, com vitrais art nouveau e um altar de tirar o fôlego com um pentáptico – a maior peça de arte medieval da Polónia – representando cenas da vida da Virgem Maria.

E, se assim como eu, você não resiste a uma bela vista. Te conto que após 247 degraus você pode admirar a cidade do alto da torre, onde fica o trompetista, e vale muito a pena!

| IMPORTANTE: O ingresso para subir na torre tem hora marcada, máximo 10 pessoas a cada 30 minutos, e só é vendido no mesmo dia da visita. A bilheteria esta localizada ao lado da Basílica de Santa Maria.

4. Subir na Torre da Câmara Municipal

Embora a Câmara Municipal de Rynek Glowny, do século XIV, tenha sido demolida pelos austríacos no século XIX, a sua imponente torre de 70 metros continua a ser um dos marcos da praça. Eu não subi, mas dizem que a vista é muito bonita também. E que ao longo dos 110 degraus há uma exposição de fotos antigas e uma maquete da Câmara Municipal original.

5. Visitar o Castelo Real de Wawel:

Este é um local bastante especial para visitar e sem dúvida não poder estar de fora da sua lista do que fazer em Cracóvia. A identidade nacional da Polónia está ligada ao Castelo Real de Wawel, onde os reis foram coroados e os grandes e bons foram enterrados. 

Além disso, também foi onde os nazis instalaram o seu quartel-general, e convenhamos que é um milagre que não tenha sido destruído no final da guerra. 

Este enorme castelo do século XVI abriga cinco museus separados e está situado no topo da colina Wawel, sobre o rio Vístula. Reserve seus ingressos aqui.

Além disso, vale comentar que os jardins do castelo são abertos ao público e para mim foi suficiente. Os jardins são bonitos e muito bem cuidados, e é um ótimo cantinho na cidade para admirar o por do sol.

Caso queira visitar um dos edifícios por ali, sem dúvida te recomendo entrar na Catedral de Wawel. A terceira igreja a existir neste local, no século XIV, pois é um dos edifícios mais importantes da Polónia e o local de sepultamento dos seus reis e, mais recentemente, do presidente polaco Lech Kaczynski.

Você pode entrar na Catedral de Wawel gratuitamente, mas sem ingresso não poderá visitar os locais pagos. Os espaços pagos incluem o Museu Papa João Paulo II, pequenas capelas, a cripta e a Torre do Sino de Sigismundo. 

| EXTRA: Descendo a colina do Castelo de Wawel, no lado mais próximo do rio Vístula, você poderá ver a estátua do dragão da cidade.

6. Caminhar pelo parque Planty:

Uma tarefa fácil para o seu roteiro de Cracóvia, visto que esse lindo e arborizado parque circunda o centro antigo da cidade.

Antigamente, até o século XIX, eram as fortificações de Cracóvia que circundavam a cidade. Contudo os austríacos resolveram destruir quase tudo e hoje só sobrou a Porta de São Floriano, do século XIV, e a fortaleza Barbican, do século XV, para contar história.

O parque Planty tem 8 quilômetros de longitude, ao longo dos quais há diversos jardins decorados em estilos diferentes, cafés e você também poderá por ali ver uma estátua em homenagem ao Papa João Paulo II, que nasceu em Cracóvia.

| DICA: A Rua Florianska (ULICA FLORIANSKA) é uma das ruas mais famosas de Cracóvia. Ele vai do Portão de Florian até a Praça do Mercado Principal. São apenas três quarteirões de comprimento e estão repletos de boutiques, lojas de souvenirs, lojas de conveniência e restaurantes.

7. Passear pelo Kazimierz:

O antigo bairro judeu, cheio de história, sinagogas, galerias de arte e cafés.

Este bairro já foi o coração da comunidade judaica em Cracóvia. Durante a Segunda Guerra Mundial, os judeus foram transferidos à força de Kazimierz para o gueto. Depois disso esse bairro permaneceu abandonado e negligenciado por muitos anos, até que em 1993, Steven Spielberg filmou aqui o filme A Lista de Schindler  e, desde então, o bairro foi ganhando vida novamente.

Atualmente Kazimierz é uma mistura descolada de sinagogas, lojas de souvenirs, excelentes restaurantes, charmosos cafés e pequenas boutiques. 

Não deixe de passar pela Praça dos Heróis do Gueto, onde 70 esculturas de cadeiras de bronze prestam homenagem às 68 mil pessoas que foram deportadas dali. As cadeiras simbolizam os móveis abandonados na praça quando as pessoas era levadas aos campos de concentração nazistas.

| EXTRA: Localizada na Rua Jozefa, existe uma pequena passagem que foi utilizada para as filmagens de A Lista de Schindler

8. Visitar a Fábrica de Oskar Schindler:

A fabrica retratada no filme, onde Schindler salvou muitos judeus durante a Segunda Guerra Mundial, atualmente é um museu.

O museu relata os esforços de Schindler e as histórias das vidas que ele salvou. E também mostra como o povo de Cracóvia suportou a ocupação nazista da Segunda Guerra Mundial. Nós não fomos, mas é vi ótimos comentários sobre, como por exemplo um que dizia: É uma exposição fascinante, que mostra todo o terror da vida durante a guerra.

| DICA: A visita é gratuita às segundas-feiras. Para os demais dias, compre aqui seu ingresso.

9. Ir aos Campos de Concentração de Auschwitz-Birkenau:

Uma das experiências mais procuradas – e perturbadoras – para fazer quando estiver passeado por Cracóvia é fazer uma viagem de um dia a Auschwitz-Birkenau.

O primeiro dos dois campos de concentração, Auschwitz, está quase intacto, e os seus quartéis mostram a brutalidade indescritível e incompreensível que os seus prisioneiros suportaram. A curta distância fica Birkenau, onde já não se vê tanto do acampamento original, mas é igualmente angustiante. Afinal este campo foi de puro extermínio da raça judaica.

Você pode visitar os campos de concentração por conta própria ou optar por tours guiados que buscam no hotel e levam até os campos em carro privado.

| IMPORTANTE: Reserve um dia inteiro para essas visitas.

10. Visitar a Mina de Sal de Wieliczka

Localizada a 12 km da cidade, é outros dos passeios populares em Cracóvia. Não fomos, pois nos faltou tempo e também me parece claustrofóbico visitar uma mina, mesmo ela sendo gigantesca.

Porém, se você gosta da ideia, te conto que a Mina de Sal de Wieliczka é Patrimônio Mundial da UNESCO e foi utilizada durante cerca de 700 anos. Atualmente existem várias galerias, uma capela, câmaras labirínticas e esculturas esculpidas em sal ali dentro.

Você pode chegar lá de ônibus ou trem ( compre aqui o seu ingresso) ou organizar um passeio saindo de Cracóvia. De qualquer maneira, reserve algumas horas para explorá-la adequadamente.

O que provar em Cracóvia:

Provar os sabores tradicionais de um país é uma das formas mais interessantes e gostosas de conhecer a cultura local. E por isso deixo a seguir alguns pratos típicos para você adicionar no seu roteiro da Cracóvia.

Zapiekanka:

Uma mistura de pizza e bruschetta e sem duvida algo que você precisa provar. Afinal é a comida de rua mais típica de Cracóvia.

Zapiekanka é uma baguete aberta coberta com várias opções de coberturas, desde queijo e ketchup de tomate até molho de alho ou cogumelos, depois torrada e comida com avidez. E o melhor lugar para prová-la é em Plac Nowy – o mercado na praça principal de Kazimierz.

Obwarzanek:

Uma massa trançada de cerca de 15cm, coberta com sal grosso, sementes de papoula, gergelim, queijo ralado ou cebola. Sendo os três primeiros citados os mais populares.

Os Obwarzanki são vendidos em pequenos carrinhos azuis espalhados pela cidade velha. Custam 2 zloty cada (cerca de 80 centavos). E, embora eu tenha achado um pouco seco, recomendo provar.

Pierogi:

Pierogi é um prato tradicional da culinária polonesa. São uma espécie de guioza, geralmente feitos com uma massa fina de farinha de trigo e água, que é recheada com uma variedade de ingredientes, como batata, queijo, carne de porco, cogumelos, repolho, espinafre entre outros recheios doces ou salgados.

Eles são frequentemente servidos com coberturas como creme de leite, cebola dourada ou até mesmo bacon crocante.

Eu provei e adorei! Fui no restaurante Pierogarnia Krakowiacy e pedi o de espinafre e queijo feta, também podia escolher um molho e optei pelo sourcream. Bem delicia a combinação! Contudo, vale saber que o mais tradicional é com carne de porco e batata e que é bem fácil de encontrar Pierogi no menus pela cidade.

Onde se hospedar em Cracóvia:

Cracóvia é a paragem preferida de muitas pessoas que viajam pela Polónia, e escolher um bom lugar para se hospedar por lá é fundamental para curtir a cidade e otimizar o seu roteiro de viagem.

Nós ficamos em dos Apartamentos Wanderlust. E eu super recomendo, gostei do conforte, do preço e principalmente da localização

Porém, caso queira olhar outras opções deixo algumas ofertas a seguir e também a recomendação do bairro Kazimierz, que tem um clima mais boêmio e agora que conheci a cidade, gostei bastante. Veja aqui opções de hospedagens por lá.

Booking.com

Como se locomover em Cracóvia:

Praticamente fizemos tudo a pé por lá, a cidade é plana e fácil de explorar. Além disso se perder pelas ruelas é a forma mais divertida para conhecer Cracóvia além dos principais pontos turísticos. Contudo, andamos um dia de tram ( o bonde) e também pegamos o trem para ir ao aeroporto. Sendo assim, segue mais dicas importantes para seu roteiro de Cracóvia:

TRAM: Você pode comprar a passagem para o bombe dentro do veículo, custa 1 euro por 20 minutos. Mais que suficiente para ir para qualquer canto do centro. Depois de comprar o bilhete voce precisa validá-lo na maquininha menor. Não tem erro, tudo está dentro do tram. 

TREM: Sem dúvida a melhor maneira de ir e vir do aeroporto. São menos de 20 minutos de viagem até a estação central e custa cerca de 4euros a passagem. 

| VEJA: Transfer Aeroporto Internacional de Cracóvia - Hotel em carro privado.

Também haviam bicicletas compartilhadas para aluguel e a cidade é relativamente bem equipada de ciclofaixas. Além disso haviam muitos patinetes para alugar também.

Espero que tenha gostado das dicas do para fazer em Cracóvia. Eu adorei a cidade e as suas ruas coloridas, a grande praça do mercado, os locais históricos e a abundância de restaurantes e cafézinhos gostoso e económicos. Sem dúvida é um destino um destino que recomendo!

* Quando você faz uma reserva usando um link do blog, você apoia o meu trabalho sem pagar nada a mais por isso.

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *